Minha experiência com o VCAP-DCV Design

Minha experiência com o VCAP-DCV Design

Olá pessoal, fiz o exame VCAP-DCV Design 2020 e fui aprovado. Com o VCAP-DCV Deploy que fiz em 2017 finalmente consegui o VCIX-DCV. O intuito deste post é compartilhar a minha experiência no exame, detalhando alguns pontos, dicas e também materiais que utilizei no estudo.

O exame é baseado na versão 6.5 Update 1 do VMware vSphere. É um exame com 60 questões, sendo que a maioria são de múltipla escolha estilo VCP (entre 70 e 80%) e algumas de arrastar/associar objetos (entre 20 e 30%). Estas 60 questões devem ser concluídas em 135 minutos (sem tempo adicional para não nativos da lingua inglesa – inclusive nenhum VCAP possui) e isso basicamente equivale a 2,25 minutos por questão. Para ser aprovado é necessário ter uma pontuação superior a 300 pontos, sendo que a pontuação máxima é 500.

Além de dominar todo o conteúdo do blueprint, é necessário responder as perguntas com bastante agilidade. Todos que escrevem sobre os exames de VCAP mencionam o tempo (ou a falta dele) como um ponto de bastante atenção. Para ficar claro vou exemplificar: você tem que ler uma questão sobre um ambiente complexo que pode ter de 2 a 10 linhas e fazer as suas escolhas em aproximadamente 2,25 minutos. Obviamente algumas questões são mais simples e por consequência é necessário menos tempo para resolve-las, porém, o contrário também é válido. Eu costumo olhar rapidamente algumas palavras chaves da questão e caso eu não saiba a resposta imediatamente ou não tenha certeza, então eu simplesmente marco a questão pra revisão e volto quando tiver concluído todas as que eu sei. Não esqueça: gerencie bem o seu tempo.

Seja tão rápido como o Flash – invejosos dirão que é o Jeff Albertson fantasiado

Acredito que a maior diferença entre o VCAP Design e o Deploy são as questões não técnicas. No VCAP Design além das questões técnicas, é necessário dominar vários conceitos de projetos/design como RACR (Requirements, Assumptions, Constraints and Risks), design conceitual, lógico e físico e também os princípios do design AMPRS (Availability, Manageability, Performance, Recoverability and Security). Eu escrevi alguns posts ao longo dos meus estudos (veja aqui).

Abaixo listo todos os links que utilizei nestas semanas de estudos. E obviamente eu não posso deixar de agradecer a todos que dedicam o seu tempo para ajudar o próximo, seja no twitter, blog ou fóruns.

Muito obrigado | Thank you very much 

  • Documentação
    • Documentações oficiais, What’s News e Release Notes (vSphere Virtual Machine, Networking, Installation and Setup, Storage, Cluster, além de vSAN, vSphere Replication, SRM)
    • Leia (ou minimamente passe os olhos) pelos 53 links que estão no blueprint

Valeu e até a próxima!

Ricardo Conzatti é especialista em TI e apaixonado por Virtualização. É graduado em Sistemas de Informação, pós-graduado em Gestão de TI e acredita muito na teoria da pirâmide de aprendizagem de William Glasser. Ricardo também é blogger, palestrante, podcaster e muito envolvido com comunidades técnicas. Ex-líder do VMUG Paraná e host do vBrownBag Brasil, além de ser VMware vExpert e possuir várias certificações técnicas Microsoft e VMware. Você com certeza irá encontra-lo no twitter @RicardoConzatti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *