Configurando Hyper-V Failover Cluster com Storage Spaces Direct (S2D) no Windows Server 2016 – Parte 1

Configurando Hyper-V Failover Cluster com Storage Spaces Direct (S2D) no Windows Server 2016 – Parte 1

O intuito da parte 1 do passo a passo sobre como configurar o Hyper-V Failover Cluster com Storage Spaces Direct no Windows Server 2016 é realizar a validação dos pré-requisitos e explicar o ambiente.

Para não ficar muito extenso, dividi o passo a passo em 5 partes:

Parte 1 – Pré-requisitos e Ambiente (você está aqui)
Parte 2 – Rede e Storage 
Parte 3 – Failover Cluster
Parte 4 – Storage Spaces Direct (S2D)
Parte 5 – Discos Virtuais / Volumes

Antes de mais nada é importante mencionar sobre a quantidade de documentos sobre o Storage Spaces Direct em português que a Microsoft disponibilizou, sério mesmo, estão de parabéns! (clique aqui e aproveite) mas para lembrar bem rapidamente, a solução é uma funcionalidade do Windows Server 2012 R2 que foi aprimorada no Windows Server 2016 e 2019 que utiliza discos locais para prover storage compartilhados para o cluster garantindo assim a alta disponibilidade. Neste tipo de implementação não precisamos configurar “storages tradicionais” (FC, iSCSI, etc). A lógica de funcionamento é bem parecido com o VMware vSAN, Red Hat Gluster e outros SDS (software-defined storage) de mercado.

Fonte: Microsoft

Requisitos (lista completa)

  • Windows Server 2012 Data Center Edition ou superior (recomendo 2016 ou 2019);
  • Mínimo de 2 servidores, máximo de 16 por cluster;
  • Floresta de Active Directory Domain Services;
  • Pelo menos uma interface de rede de 10 Gbps em cada servidor, preferencialmente RDMA (iWARP ou RoCE);
  • Unidades de NVMe, SAS e SATA;
  • Unidades de estado sólido devem fornecer proteção contra perda de energia;
  • Mesmo número e tipos de unidades em cada servidor;
  • Dispositivos de cache devem ser de 32 GB ou maior;
  • Ao usar dispositivos de memória persistentes como dispositivos de cache, você deve usar dispositivos NVMe ou SSD de capacidade (não é possível usar HDDs);
  • Número de unidades de capacidade é um múltiplo inteiro do número de unidades de cache;
  • Se houver unidades usadas como cache, deverá haver pelo menos 2 por servidor;
  • Deve haver pelo menos 4 unidades de capacidade (sem contar o cache) por servidor.

Ambiente

Para esta série de posts vamos configurar um ambiente de Hyper-V Failover Cluster, onde ao invés de utilizarmos storages tradicionais (FC ou iSCSI), iremos utilizar 04 servidores Windows Server 2016 Datacenter com discos locais. Estes servidores Hyper-V estão virtualizados no VMware ESXi (normalmente seriam servidores físicos, mas como é lab e eu só tenho um hardware físico temos que recorrer para o nested 🙂 ). Os servidores Hyper-V fazem parte de um domínio Microsoft, possuem 7 unidades locais (1x 30 GB HDD para o SO, 2x 35 GB SSD para cache e 4x 50 GB HDD para capacidade) e 6 interfaces de rede (gerenciamento, live migration e rede para as máquinas virtuais). Fora a parte de hardware, precisaremos de uma pasta compartilhada para servir de witness, 5 hostnames e endereços IP, sendo 1 para o Failover Cluster e 4 para os servidores do Hyper-V.

É isso aí pessoal, acompanhe os próximos posts. Valeu e até mais!

Ricardo Conzatti é especialista em TI e apaixonado por Virtualização. É graduado em Sistemas de Informação, pós-graduado em Gestão de TI e acredita muito na teoria da pirâmide de aprendizagem de William Glasser. Ricardo também é blogueiro, palestrante, podcaster e muito envolvido com comunidades técnicas. É líder do VMUG Paraná e host do vBrownBag Brasil, além de ser VMware vExpert e possuir várias certificações técnicas Microsoft e VMware. Você com certeza irá encontra-lo no twitter @RicardoConzatti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *