Conhecendo os Containers do Windows Server 2016

Segundo a Microsoft, containers são um ambiente operacional isolado, portátil e controlado por recursos, em outras palavras o container é um local isolado onde um aplicativo pode ser executado sem afetar o restante do sistema e sem o sistema afetar o aplicativo.
Estão dizendo por aí que os containers são a próxima evolução na virtualização. Será mesmo?

four-containers

No Windows Server 2016 existem duas formas de utilizar os containers: diretamente no Windows Server (físico ou virtual) e no Hyper-V. Ambos os tipos de recipientes são criados, gerenciados e funcionam de forma idêntica, além disso também produzem e consomem as mesmas imagens do recipiente, sendo que a unica diferença entre eles é o nível de isolamento criado entre o recipiente, o sistema operacional hospedeiro e todo o outro recipiente em execução naquele host.

windows-server-x-hyper-v

Windows Server – várias instâncias de containers podem ser executadas simultaneamente em um host, utilzando o isolamento fornecido através de namespace, controle de recursos e tecnologias de isolamento de processo. Este tipo de recipiente compartilha o mesmo kernel com o anfitrião, bem como uns aos outros.

Hyper-V – várias instâncias de containers podem ser executadas simultaneamente em um host, porém, cada recipiente é executado dentro de uma máquina virtual. Isso proporciona isolamento no nível do kernel entre cada recipiente Hyper-V e do hospedeiro recipiente.

Este vídeo faz uma introdução, uma espécie de ideia geral sobre os containers. Recomendo fortemente a leitura deste artigo para se aprofundar mais nos conceitos  e configurações de containers no Windows Server 2016.

Até a próxima pessoal. Valeu!

Posts Relacionados

Ricardo é especialista em TI e apaixonado por Virtualização. É graduado em Sistemas de Informação e pós-graduado em Gestão de TI, além de possuir várias certificações Microsoft e VMware.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *